Projeto amplia a formação do professor para incentivo à leitura com novas tecnologias

#Arquivo_2014

Reunidos, coordenadores pedagógicos de 16 escolas da rede municipal de Senador Canedo, cidade da região metropolitana de Goiânia-GO, traçam as primeiras linhas de uma estratégia usada para aproximar a escola da cultura digital como forma de incentivar à leitura entre crianças e adolescentes. A parceria é com a ong Casa da Árvore, que através do projeto “E se eu fosse o autor?”, vem desenvolvendo práticas pedagógicas inovadoras e difundindo entre os sistema público de educação do Brasil. Na cidade goiana a iniciativa acontece desde o começo do ano com o patrocínio do Programa Integração Petrobras Comunidade, e já atendeu a 284 participantes com mais de 80% de aumento no índice de leitura espontânea.


A formação de professores de Língua Portuguesa vai atender nesta etapa 16 escolas e até o final de 2015 deve chegar a todas as unidades da rede. “Nós decidimos priorizar o acesso à professores que atendo do 6° ao 9° ano pois ele atua em várias turmas, tendo assim a possibilidade de levar esta inovação a um número muito maior de alunos”, destacou a diretora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação, Elenice de Lurdes, lembrando que a ação está atendendo escolas de todas regiões do município, Central, Oliveira, Galvão e Zona Rural. A capacitação acontece nesta segunda e terça-feira (11 e 12 de agosto) em período integral no Laboratório Criativo de Literatura e Tecnologia, montado pela ong Casa da Árvore na Biblioteca Municipal Arlete Tenório de Castro.


Durante a formação os educadores aprofundarão suas habilidades didáticas e tecnológicas para desenvolverem sequências didáticas que integram currículo e a cultura digital vivenciada por alunos e professores dentro e fora da escola. Na prática os professores sairão da capacitação com um conjunto de aulas criativas para serem aplicadas nas suas turmas. “Para que estes professores e estas escolas aproveitem ao máximo essa primeira experiência inovadora, a equipe pedagógica do projeto vai garantir um apoio na execução destas aulas experimentais”, reforça o coordenador do projeto Aluísio Cavalcante, destacando ainda que após a formação todo professor receberá na sua escola visitas de planejamento dos educadores da Casa da Árvore, que também acompanharão a mediação na sala de aula.


A Coordenadora Pedagógica da Escola Municipal Abdon Ferreira de Carvalho, Andréa Ferreira da Costa, acompanhou uma oficina realizada pelo projeto em turmas da escola municipal Maria José Cândido, onde atuava como professora de Língua Portuguesa, "Durante uma oficina, onde brincaram com a produção de novelas gráficas para construir suas próprias histórias, como o uso criativo de telefones celulares, do computador e de coisas simples, como os próprios dedos, que essa experiência muda a relação desse aluno com a leitura. Nossa expectativa é que esse movimento contagie as escolas, a partir dessa capacitação e suporte aos professores ".

0 visualização0 comentário